Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Longitudinal

Longitudinal

O jardim está pronto

 

O jardim está pronto. As obras terminaram há algumas semanas (talvez um mês. ou dois) mas só agora começa a ser jardim de novo.

 

Há um quiosque que abre pelas nove horas. As mesas fazem pouco barulho enquanto as arrastam até ao sítio onde vão ficar todo o dia, protegidas do sol por uns chapéus que a esta hora ainda não estão abertos em toda a sua glória. O calor ainda é suave e as copas das árvores substituem-nos por uns tempos. Há um velhote que passa. Uma boina coçada na cabeça e uma t-shirt com a cara, já azul, do Kurt Cobain. Por baixo uma inscrição:1967-1994. Só dois bancos estão ocupados mas qualquer um dos outros é um convite ao reconhecimento daquele jardim rasgado entre edifícios mais altos que as mais velhas árvores. Há um homem sentado num banco. Vai olhando para o relógio e eu gostava que ele tivesse marcado um encontro naquele banco de jardim. Há um casal. Ele lê A Bola com uma mão no papel e outra agarrada à mão da mulher. Ela divide-se entre olhar para os pombos e olhar para o marido, que lhe aperta a mão e descobre as últimas novidades do mundo desportivo. Estão rodeados de pombos (e até os pombos parecem novos) e cabe-lhe olhar para os pássaros e perceber as intrigas, as mentiras, as traições que se passam entre penas... No final do dia, à mesa, ela conta-lhe tudo "tim tim por tim tim", porque ele estava distraído com o futebol. E ele no final diz-lhe: " Se não te tivesse, quem ia olhar para os pombos por mim?".

 

O jardim está pronto. Só falta mesmo ligar a fonte.