Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Longitudinal

Se algum dia

Abril 27, 2010

 

 

 

- Se algum dia comprares um carro vai ser branco, não vai?

- Não, vai ser preto e vai andar sozinho. E tu não entras.

- E tu?

- Também não. Não gosto de carros pretos.

Rute

Abril 14, 2010

 

Há muitos anos atrás (se é que menos de vinte podem ser "muitos"), quando a minha mãe trabalhava numa escola de ensino especial, havia uma rapariga que chamava a minha atenção quando eu entrava naquele edifício de corredores compridos, amplos, cheios de salas de portas abertas. (Para algumas arranjava coragem de entrar sozinho. Na maior parte esperava que alguém o fizesse antes de mim) Quando entrava por aquele edifício de um só piso, sossegado, imenso (e não porque media menos um metro do que meço agora) e avançava para a sala da minha mãe, olhava, às escondidas para a sala do lado. E para a Rute.

 

Mais tarde, quando o corpo deixava de pesar e de me obrigar a ficar rígido num só ladrilho, escapava-me para a outra sala. Lembro-me de a ver deitada numa espécie de tapete igual aqueles onde eu habitualmente praticava ginástica. E ficava a olhar. Não me mexia. Ela também não. Não falava comigo nem com ninguém. E, pela cara dela, nem com ela própria devia falar. Naquele tapete (igual aquele onde eu treinava rodas e pinos e no qual me deitava exausto) ela ficava deitada. Por cima dela, coladas à parede, estavam três ou quatro fotografias de uma rapariga a correr. Ela continuava parada. Mais tarde percebi que a rapariga das fotografias era a mesma que eu via ali deitada no tapete de ginástica. A Rute já tinha saltado e corrido, pelo menos uma vez. Já na altura achei cruel. Há uns anos passei a achar que era um gracioso exemplo de humor negro. (E depois sinto-me culpado a cada gargalhada). Hoje acho que acordei num daqueles tapetes de ginástica. Infelizmente, ao contrário da Rute, ainda consigo olhar para as fotografias.

"Isso já não existe"

Abril 11, 2010

 

(Diálogo entre uma mãe e um filho (com cerca de 10 anos) na secção de DVD do El Corte Inglés)

 

Filho: Mas eu quero um filme para rir o tempo todo!

 

Mãe: Sim... E se for este?

 

Filho: Mas esse é para rir?

 

Mãe: Sim, sim...

 

Filho: Mas é para rir o tempo todo?

 

Mãe: Isso já não existe.

 

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D